People Skills na Engenharia (e em outras áreas)

  • por
engenheiros fazem trabalho em equipe conceito people skills na engenharia

No dia 06 de julho, eu participei de uma live super bacana no canal do Youtube do pessoal do Engenharia 360, junto ao Eduardo Mikail, e nós batemos um papo super importante sobre People Skills na Engenharia – o que são, como são aplicadas, como podem fazer a diferença no seu currículo, dentre outros tópicos.

Se quiser conferir o vídeo, é só dar play no vídeo ao fim do artigo!

E só lembrando que, caso você tenha vontade de se aprofundar nesse tema, aqui no blog tem muitos conteúdos bem bacanas na categoria People Skills, assim como nas minhas redes sociais. 

A importância das People Skills

Ao longo de todo o sistema educacional, alunos recebem conteúdo por parte dos professores, seja na escola ou na faculdade, muito voltado para habilidades conhecidas como hard skills (ou conhecimentos técnicos).

Mas o que acontece é que, na contemporaneidade, para ser um profissional bem-sucedido, não adianta procurar se desenvolver apenas nos conhecimentos técnicos, por mais necessários que sejam.

É fundamental, também, ter conhecimento em People Skills (ou soft skills), que são competências comportamentais e socioemocionais – passíveis de aprendizagem e aprimoramento e cada vez mais importantes e visadas no mercado de trabalho.

Como as People Skills podem ser aplicadas a Engenharia?

O Eduardo, do Engenharia 360, me contou que, quando entrou no curso de Engenharia, percebeu uma dificuldade existente em algumas pessoas no manejo de certas People Skills consideradas essenciais para o trabalho, como gerenciamento de equipes e liderança.

O problema é que isso não acontece apenas na Engenharia, mas em diversos outros – para não dizer todos – setores.

Alguns exemplos?

Um médico vai estudar, na faculdade, todas as habilidades técnicas necessárias para ser capaz de entregar um diagnóstico ou realizar uma cirurgia. Contudo, ele não aprende como gerenciar um consultório ou a melhor forma de lidar com as finanças.

Embora esses fatores tenham um papel determinante na carreira daquele profissional, a instituição ou o sistema educacional não fornece o conhecimento necessário para que ele seja capaz de lidar com essas questões.

91% das pessoas são contratadas pelas hard skills, mas são demitidas pelas People Skills

Atualmente, segundo a Michael Page, 91% das pessoas são contratadas pelas empresas devido às suas habilidades técnicas – isto é, o que está no currículo, seu diploma, cursos de Excel ou até de idiomas -, ,as elas acabam sendo demitidas em razão das suas People Skills.

Afinal, muitas vezes, as pessoas não sabem falar em público, não trabalham bem em equipe, não reagem de forma satisfatória quando colocadas em pressão ou não colaboram.

Outro exemplo: nós sabemos que quando temos um projeto, o ideal é acordar todos os dias motivados para fazer o que for preciso para alcançar o nosso objetivo.

Porém, nem todas as manhãs são maravilhosas o bastante para termos vontade de realizar as tarefas necessárias, certo?

Acontece com todo mundo. Mas se, nesse mesmo caso, estivéssemos falando de alguém disciplinado, não importaria a falta de motivação: a pessoa realizaria suas obrigações simplesmente porque a tarefa precisa ser feita.

Isso é algo que vale tanto para qualquer ocupação, em qualquer setor, quanto para nosso dia a dia pessoal.

Como desenvolver People Skills?

Eu acredito que a melhor forma de desenvolver essas capacidades socioemocionais é seguindo os 3 passos abaixo:

  1. Reconhecer que você precisa dessas habilidades: você precisa entender que as People Skills são relevante para o seu processo de desenvolvimento, mapeando as mais importantes para você em base dos seus desafios pessoais e profissionais 
  2. Não depender de ninguém para se desenvolver na capacidade que você deseja aprimorar ou adquirir: não espere que a sua faculdade/empresa/família ou que o governo te ensinem o que você sabe que precisa aprender 
  3. Utilize-se do método 10-20-70: nesse ordenamento, 10% do conhecimento que você adquire parte de livros, cursos, aulas, podcasts ou mesmo lives no Instagram; 20% vêm da compreensão daquela habilidade por meio do contato com pessoas experientes no assunto— você pode assistir a uma palestra de um especialista no tema que você esteja interessado em se desenvolver ou mesmo ter um mentor que te forneça feedbacks; os 70% restantes do esforço se referem ao treino, prática e refinamento da habilidade em questão

Como demonstrar o domínio de People Skills?

Muitas vezes, após entenderem a importância dessas habilidades, as pessoas se apressam em colocá-las de forma errada em seus currículos e isso poderia prejudicá-las em processos seletivos e entrevistas de emprego.

Por essa razão, eu sempre aconselho meus alunos a contarem histórias quando forem demonstrar o domínio de alguma People Skill; dessa forma, sua colocação será enriquecida pela experiência.

Recentemente. publiquei um artigo aqui no blog sobre Storytelling em que falo um pouco sobre isso, mas vamos aos exemplos:

A Ana escreve em seu currículo que é empática e organizada e eu sou o recrutador da empresa que está realizando o processo seletivo em que ela está participando. Por não saber se Ana realmente possui essas People Skill, já que não tenho como constatar o que ela disse com nenhum exemplo, não me gera nenhum impacto quando leio aquelas qualidades em seu currículo. São informações vazias.

Agora imagine que você está em uma entrevista de emprego e o recrutador te faz uma pergunta sobre alguma experiência que você teve. O que fazer nesse momento?

O mais indicado é contar uma história, em que você demonstrará que desenvolveu habilidades socioemocionais, sejam elas quais forem: trabalho em equipe, resiliência, organização, colaboração, dentre outras.

Forneça exemplos reais, situações,tarefas, mostre como você lidou com os desafios e obteve resultados e mencione as People Skills envolvidas de forma natural. A partir de ilustrações, será mais fácil visualizar suas capacidades.

Conselhos para os estudantes de Engenharia (e todas as outras áreas):

Você, estudante de Engenharia, e você, estudante de outra área, esteja ciente de que a sua faculdade não vai te ensinar tudo: existe uma parte muito importante desse processo de aprendizagem e formação que ficará por sua conta e dependerá única e exclusivamente de você.

Durante o seu curso, você terá acesso a pessoas e experiências – é aí que entram os estágios, os projetos, as extensões – e independentemente da área na qual você opte por atuar, em algum momento, durante essa jornada, ações como trabalhar em equipe, falar em público, ter disciplina, ser resiliente e ter criatividade serão necessárias.

A minha sugestão, portanto, é que você escolha três das People Skills pelas quais você mais tem interesse, estipule uma meta de tempo e procure se desenvolver nesse intervalo.

Mais importante que nosso sobrenome, um diploma na parede ou a faculdade em que estudamos são as nossas escolhas: são elas que determinam quem nós somos. Nunca seremos perfeitos em tudo, mas sempre podemos ser um pouco melhores em algo que nos propomos a melhorar.

Esse artigo te ajudou?

No meu Instagram @vabo23 estou sempre compartilhando os passos mais importantes da minha jornada e trocando ideias sobre people skills, liderança, empreendedorismo e a vida, em geral.

Segue lá e me manda seus desafios por DM que tentarei te ajudar!

Quer conferir a live completa com a galera do Engenharia 360? Dá play abaixo!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.