Quer ser um bom líder? O Bernardinho te ensina como!

  • por
Bernardinho comemora vitória como líder do time de vôlei do Brasil

A pessoa com quem eu conversei para escrever esse texto dispensa qualquer apresentação e eu, claro, sou fã declarado dessa lenda do esporte brasileiro.

O Bernardinho é treinador de voleibol e o maior campeão da história do vôlei desse país, acumulando ao longo de sua jornada mais de trinta títulos! Carioca de nascença, Bernardo Rocha de Resende veio ao mundo em 1959 e atualmente contempla o time de feras que compõe o Além da Facul (você pode encontrá-lo facilmente no @bernardinho_oficial).

Nossa troca teve como pano de fundo temáticas relacionadas a liderança, empreendedorismo e people skills. Neste artigo, eu destaco os principais pontos. Vem comigo!

A importância da Liderança:

 

“Os líderes proeminentes saem de seu caminho para aumentar a autoestima de seu pessoal. Se as pessoas acreditam em si mesmas, é impressionante o que eles podem fazer” – Sam Walton.

 

“Chefes”, “superiores”, são normalmente palavras usadas para denominar “pessoas que tem autoridade para comandar outras” ou mesmo “indivíduos investidos de poder para ocupar lugares de mando”.

Todavia, quando pensamos no significado da palavra “líder”, é mais comum remetermos a alguém cujas “ações e palavras exercem influência sobre o pensamento e comportamento de outros”.

Percebeu a diferença? Líderes nos inspiram e fazem nascer dentro de nós a vontade de repetir seus bons exemplos.

Naturalmente, é muito difícil liderar, e conversando com o Bernardinho concordamos que esse papel sofreu muitas alterações dentro da história. Entretanto, é incontestável que um bom líder sempre será dotado de certas características, independentemente da época:

  1. Um líder sabe escutar seus liderados e os conhece a ponto de sentir as suas necessidades ainda que eles não expressem por meio de palavras o que precisam no momento
  2. Tem valores sólidos, correlatos à empresa, e isso é visível ao time
  3. Ele sempre está em busca de ser melhor, porque sabe que não se nasce líder, torna-se um. É preciso ser humilde e saber que a ideia de autossuficiência é perigosa. Ser líder tem muito mais a ver com guardar valores preciosos a um time e inspirar pessoas a serem melhores

Depois de um tempo praticando e repetindo as ações das pessoas que o inspiram (afinal, sabemos que uma das formas mais efetivas de aprendizagem é pela repetição), a menção passa a ser uma verdade para o time, e o líder acaba formando novos líderes, que passam a integrar esse ciclo.

Porém, até que isso aconteça, é fundamental que ocorram os rituais de repetição.

O Bernardinho citou alguns desses rituais que fizeram parte de sua experiência enquanto líder:

Premiação

Esse tipo de ritual é conhecido por reforçar bons hábitos e facilitar a aprovação e celebração do time quando se consegue resultados satisfatórios. Entretanto, no caso do nosso grande técnico e campeão, essas premiações sempre eram divididas igualmente entre todos os membros da equipe, ainda que apenas um tivesse recebido o bônus; deste modo valores de união e cooperação eram fortalecidos.

Treinamento

É certo que crescemos quando estamos em situações ou em contextos desconfortáveis em quase tudo em nossas vidas, e para o Bernardinho o conforto é, nesse contexto, quase um inimigo do desenvolvimento. Por isso também que o “acordar mais cedo”, “fazer mais um saque”, “levantar mais uma bola” sempre fizeram parte de seus treinamentos. Tanto ele como a equipe sabiam que a preparação extrema era necessária, valores eram compartilhados por todo o time e a disciplina era a regra.

Ritual da Família

Apesar da rotina exaustiva, momentos em que toda a equipe (ao lado de suas respectivas famílias) se reunia para ter algum tempo de qualidade em conjunto também aconteciam, e isso humanizava a relação existente entre os membros do time (que segundo o Bernardinho, muitas vezes, devido às circunstâncias do esporte, era de cobrança).

Roda da excelência do Bernardinho: o que é? 

O livro “Transformando suor em ouro”, escrito por Bernardinho, foi concluído em 2006.

Na obra, ele cita o elemento da “roda da excelência”, que surgiu na vida do nosso campeão a partir da admiração do Bernardinho por um treinador chamado John Wooden, considerado o melhor treinador da história do NCAA.

O ilustre treinador utilizava uma figura que representava os valores que ele acreditava ao ensinar seus alunos e jogadores, conhecida como “pirâmide do sucesso”. De acordo com ele, os blocos que formavam as estruturas da pirâmide eram princípios necessários aos indivíduos e, se as pessoas os respeitassem, certamente alcançariam o sucesso.

Mas neste mundo tão subjetivo, com tantas interpretações e opiniões sobre tudo, o que seria o sucesso? Para Wooden, ser bem sucedido é ter a paz de espírito de saber que fizemos o nosso melhor.

A partir de tudo isso o Bernardinho criou a roda da excelência: ele colocou valores (que seriam os princípios da empresa, marca ou time, podendo variar de caso a caso) em um círculo, e esse mecanismo gira em uma estrada ou em um plano de ação, sempre guiados por muita disciplina.

Quais são os principais pontos que um líder precisa desenvolver?

De acordo com nosso “coach B”, os principais pontos que um líder precisa desenvolver são:

 

  1. É fundamental entender que um bom líder precisa estar em constante busca por desenvolvimento de empatia. Para isso, é preciso saber ouvir; só assim é possível conseguir entender o que se passa com cada liderado e conhecer as pessoas. Como você vai ser capaz de liderar alguém com eficiência se  não sabe qual o botão que move aquele indivíduo?
  2. Desenvolva a comunicação: um bom líder é um storyteller
  3. Respeite verdadeiramente as pessoas e deixe isso claro através das suas atitudes
  4. Mostre que você se importa com os seus liderados e prove essa prerrogativa fornecendo-lhes suporte quando necessário. Não se esqueça que uma das coisas mais importantes na construção de uma relação saudável é estar perto – não necessariamente fisicamente, mas mostrando ao outro o quanto ele é relevante para a missão do time.

 

Na minha experiência lidando com alunos e com o setor de empreendimentos, percebo que uma das maiores capacidades de empreendedores bem-sucedidos é a resiliência diante das derrotas.

A maioria das pessoas tem dificuldade de lidar com a frustração de não conseguirem atingir determinada meta ou objetivo.

O Bernardinho, por exemplo, esteve a frente de muitas equipes campeãs, que foram mundialmente aclamadas, ganhou medalhas de ouro em estádios lotados e precisou lidar com a expectativa de centenas de brasileiros, muitas vezes durante os jogos em que participou.

Entretanto, ele também perdeu algumas vezes, e precisou lidar com a sua própria frustração e a dos demais – jogadores, fãs do esporte, o Brasil inteiro… Dá pra imaginar?

É fundamental, nesse quadro, saber como processar nossas emoções, entender o motivo do nosso sentimento e procurar utilizar as experiências que geraram essas questões como lições para o futuro, assim como fez o nosso técnico.

Essa também é uma capacidade que um bom líder precisa buscar desenvolver.

Conflito de gerações: mito ou realidade?

De fato, essa é uma problemática real, especialmente quando existe atrito no posicionamentos entre indivíduos que nasceram em épocas diferentes e são fortemente influenciados pelo contexto em que estavam inseridos.

Um bom líder precisa se posicionar nessas situações através do desenvolvimento de meios de comunicação particulares a cada pessoa presente no grupo, identificando as formas mais adequadas de conexão com o restante dos membros da equipe.

Essa mistura de vivências e experiências pode ser muito interessante e, como líder, é preciso estar atento às melhores formas de lidar com as mudanças.

Aspectos espirituais impactam na hora de ser um líder?

Tudo passa pelo autoconhecimento, e a espiritualidade está intimamente ligada a isso, seja através da prática de alguma religião ou por meio do recurso da meditação, sem ligação a uma religião específica.

Eu, por exemplo, sou adepto ao Mindfulness – ou Atenção Plena – que de maneira geral é um estado em que treinamos propriedades de concentração ao momento presente.

Através deste exercício, compreendemos nossas concepções no instante em que ocorrem e, de maneira orgânica, aprendemos a fazer escolhas mais lúcidas e práticas, o que acaba influenciando a forma como encaramos os dilemas e questões do dia a dia.

Como desenvolver disciplina e outras People Skills importantes para um bom líder?

 

“Como eu posso cobrar que alguém seja disciplinado, quando eu não sou?” – Bernardinho

 

De acordo com o Bernardinho, diversas capacidades em nossa vida só serão adquiridas com muita prática e disciplina. O bom líder, portanto, apresenta o propósito ao time e os convida a participar do mesmo sonho que ele tem.

Caso esse sonho seja grande e inspirador o bastante, os obstáculos se tornarão pequenos com o passar do tempo.

Caso você queira desenvolver essa importante competência, é fundamental que você entenda que existem coisas que precisam ser feitas e nem sempre elas serão prazerosas ou você sentirá vontade de fazê-las.

Nossos caminhos não podem estar condicionados unicamente pelo prazer.

O Bernardinho terminou o nosso papo me contando que um dos seus sonhos é continuar impactando pessoas com o objetivo de tornar o nosso país um lugar ainda melhor, e eu te falo, meu caro, é isso que um bom líder genuinamente faz: influencia pessoas a serem suas melhores versões!

 

Gostou deste artigo? Compartilha com alguém que você acha que vai curtir também!

No meu Instagram @vabo23 estou sempre compartilhando os passos mais importantes da minha jornada e trocando ideias sobre people skills, liderança, empreendedorismo e a vida, em geral.

Segue lá e me manda seus desafios por DM, não esquece de me contar aqui nos comentários o que achou do artigo e da sua opinião sobre como um líder deve ser 🙂

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.