O que você e o Tom Brady podem ter em comum

Vocês muito provavelmente conhecem o Tom Brady – quem acompanha futebol americano com certeza sabe quem ele é. Para quem não o conhece como esportista e atleta, Tom Brady é o marido da Gisele Bundchen e um dos maiores quarterbacks do futebol americano.

Esse cara aí da foto:

Hoje, as principais franquias de futebol americano valem em média 5 bilhões de dólares, ou seja, é um mercado que tem um valor muito alto. Um clube de futebol americano, atualmente, é um empreendimento muito bem administrado, e se tem muitos fãs, é porque, por trás, tem uma gestão profissional como qualquer outra grande empresa. 

Então o que esses grandes clubes fazem: eles vão lá nas principais universidades norte-americanas e selecionam os atletas mais promissores dessas universidades. Esse processo se chama draft

No ano do Tom Brady, e aqui vale lembrar que ele é considerado, hoje, se não o maior, com certeza um dos maiores jogadores da história do futebol americano, no ano em que o Tom Brady foi selecionado, ele ficou na posição número 199. Isso significa que ele quase não foi selecionado para jogar em um grande clube profissional de futebol americano. Como pode isso? 

Como é que pode ele fazer parte de uma Indústria com muitos recursos, com empresas valendo bilhões de dólares e que, apesar disso, cometeu um erro muito grave; pegaram o melhor jogador da história e, quando ele era jovem, o colocaram como número 199 no draft.

Depois, claro, tentaram analisar o porquê dessa falha do sistema americano, e um dos maiores adversários do Tom Brady, que fez a melhor análise, disse o seguinte:

“Isto ocorreu porque avaliaram o Tom Brady apenas de fora para dentro” 

Ou seja, usaram apenas os indicadores clássicos: capacidade de arremessar, correr… Então, quando você olhava o Tom Brady com essas características, era aquela régua que eles tinham. Em relação aos outros competidores, o Tom Brady era mais lento, arremessava mais fraco, não se destacava nisso que podemos chamar de hard skills, ou habilidades técnicas, do futebol americano.

E, de fato, ele até poderia ser individualmente ruim, mas a história mostrou que ninguém treinava mais do que ele, que ninguém tinha uma inteligência emocional tão boa quanto a dele, que ninguém tinha um uma capacidade de reagir sob pressão e organizar o time e de liderança, de esforço, de resiliência e disciplina como as dele.

Ou seja, o que fez o diferencial do Tom Brady foram as soft skills e não apenas as hard skills.

A gente precisa juntar esses dois. Apenas soft skills não bastam, é claro, mas apenas hard skills também não. Esse é mais um exemplo de como as soft skills fazem a diferença e são responsáveis pelo sucesso das pessoas.

Inclusive Tom Brady recentemente disse que um dos fatores que mais garantem a visão dele, que garantiram que ele chegasse onde ele chegou, foi a disciplina para meditar. Ele colocou como rotina cuidar da saúde mental dele para lidar com as pressões lá no meio do campo de jogo. No meio do Superbowl.

E o resultado a gente já sabe qual é, né? 🙂

Sabia que a Oratória é uma das principais soft skills? O meu Curso de Oratória é 100% prático com as dicas fundamentais e exercícios para você praticar! Além das lives exclusivas que eu te darei feedbacks personalizados.

Invista em você e melhore a forma como você fala em público!

 E se você gostou dessa história, no meu Instagram @vabo23 estou sempre compartilhando os passos mais importantes da minha jornada e trocando ideias sobre soft skills, empreendedorismo e a vida, em geral 🙂

Segue lá e me manda seus desafios por DM!

O que são entrevistas desestruturadas – e por que elas podem estar prejudicando a sua empresa?

Esse texto traz algumas dicas que compartilho durante minhas Lives. Siga @vabo23 para não perder nenhuma!

entrevista-desestruturada

Normalmente, qual o método mais clássico de contratação das empresas? Entrevista

É análise de currículo – onde dezenas e dezenas de pessoas mandam um currículo, que a empresa tem que filtrar – e, se encontrar candidatos que tenham fit com a vaga, agendar outras dezenas de entrevistas, com diferentes pessoas de diferentes escalões da empresa.

Se não o método tradicional, é, pelo menos, o mais comum. 

Mas o que que as empresas perceberam é que ele não mais tão eficaz. 

Isso porque as empresas estão fazendo entrevistas chamadas “desestruturadas” – e eu tenho um dado importantíssimo pra compartilhar com vocês sobre isso mais à frente. Mas antes:

O que é uma entrevista desestruturada?

Em várias empresas que eu já trabalhei, ou empresas que eu já dei aula para alunos, ou empresas eram cliente minhas, como é que funciona o processo de entrevista? Geralmente, alguém fala: “Fulano, você tá com tempinho livre aí? Vamos rapidinho ali comigo entrevistar um candidato comigo?”, se trancam em uma sala com o candidato e batem um papo sem muitos critérios.

Ou seja, os entrevistadores não se preparam para a entrevista. 

Porém, da mesma forma que o entrevistado precisa se preparar para entrevista, o entrevistador também precisa. E eu tenho um dado importantíssimo pra compartilhar com vocês do porquê disso.

O problema da pessoa que não se prepara para entrevistar é que ela vai fazer uma entrevista desestruturada, isto é, uma entrevista sem qualquer planejamento prévio de como deve ser conduzida e de quais respostas espera-se obter.

A consequência disso é que uma entrevista desestruturada, de acordo com essa pesquisa, só dá uma margem de predição de performance de 15%

Isso significa que, se eu contratei a pessoa hoje, daqui a um ano eu vou ver se a pessoa performou bem, se saiu da empresa, se tá tendo progresso ou se tava meio patinando. Apenas 15% dessa noção resultado vem de alguém que foi entrevistado de forma desestruturada.

Por outro lado, a predição de performance é de 65%, ou seja, o resultado é mais de 4 vezes melhor, quando a empresa faz um modelo híbrido de contratação. 

No modelo híbrido de contratação, não temos só análise de currículo e entrevista. Ele envolve também outras etapas, em especial que avaliem soft skills junto com hard skills, para que você possa aumentar a probabilidade de aquela pessoa que você está contratando performar bem.

Essas etapas são variáveis, dependendo do tamanho da sua empresa e do cargo para o qual você está contratando.

O que é importante ter em mente é que, no mínimo, você precisa se preparar para QUALQUER entrevista que for fazer, selecionando perguntas-chave que extraiam do candidato tanto suas hard skills quanto suas soft skills e envolvendo apenas pessoas que sejam fundamentais para o processo seletivo.

Encare a entrevista como um investimento a longo prazo. Você, afinal, não vai contratar alguém apenas para preencher vaga, certo?

Eu posso ajudar sua empresa! Saiba mais sobre minha minhas palestras, imersão ou mentoria!

Os meus 7 aprendizados de 2019

Cada novo ano nos dá pelo menos 365 chances de evoluirmos. Aproveita que este ano é mais generoso e traz 366!

Mas, antes de olhar pra frente, e entender o que podemos aperfeiçoar em nós mesmos, é importante olhar para trás e ver onde erramos e acertamos.

Eu fiz esse exercícios na virada para 2020 e compartilho o resultado com você!

1) Nunca abra mão da sua saúde física e mental

Se me perguntarem apenas uma coisa que eu diria para mim mesmo no início da minha carreira, eu cravaria essa frase! Ter bons hábitos, alimentação balanceada, praticar exercícios físicos, dormir pelo menos 7h por noite e meditar pelo menos 10 minutos por dia são aprendizados que venho tentando sedimentar em minha vida. Sem saúde, todo o resto fica prejudicado.

2) Dedique um tempo toda semana para cuidar do seu dinheiro

Tenha uma planilha de orçamento pessoal. Quanto do seu salário você economiza? Esse valor você coloca aonde? Como avalia as alternativas de investimento? Tente poupar de 10 a 30% do seu salário todo mês. Se estiver com dívidas, crie um planejamento para saná-las e em seguida, calcule uma reserva de emergência para ter sempre guardada com você (de 6 a 12 meses dos seus gastos mensais). Dado que poucos de nós tivemos aulas de educação financeira na escola, sugiro que você aprenda a cuidar do seu dinheiro para que ele não seja um obstáculo na realização dos seus sonhos.

3) Nunca pare de estudar, nunca pare de aprender

Separe um tempo para pensar em você. Quais feedbacks recebeu em 2019? Quais são as características que você precisa e gostaria de se desenvolver? Tendo mapeado o que você precisa melhorar, é hora de correr atrás doconhecimento necessário. Sugiro que você selecione alguns livros, blogs, palestras no TED ou Youtube e alguns cursos para fazer (online ou presenciais).

4) Trabalhe com o seu propósito

Quando você descobre seu propósito e dedica sua vida a ele, facilita muito a disciplina e a motivação. O ideal é que esse propósito seja uma causa maior do que você, externa a você e envolva servir alguém. A pergunta é: se você não existisse, o que o mundo perderia?

5) Sua felicidade é proporcional à qualidade dos seus relacionamentos

Essa é a conclusão da pesquisa mais antiga de Harvard. Ou seja, família e amigos possuem um papel fundamental em nossa vida e precisamos cultivar a qualidade desses relacionamentos. Muito importante termos alguém com quem celebrar os bons momentos e a quem recorrer nas dificuldades

6) Você pode melhorar em qualquer coisa que você quiser e se dedicar

A pesquisadora Carol Dweck nos ensina que existem dois tipos de pessoas: as que têm mentalidade de crescimento e as que têm mentalidade fixa. As que acreditam que podem evoluir e as que não são protagonistas, remetendo os acontecimentos da sua vida a fatores externos a si: o acaso, a sorte, o governo, o chefe, Deus… qual é a sua mentalidade?

7) Esteja presente!

Procure estar 100% presente nas atividades que você estiver desempenhando. Se estiver em casa, esteja em casa. Se estiver no trabalho, esteja no trabalho. Curta sua família, amigos e colegas de trabalho/escola. Se divirta nos desafios profissionais. Viaje pra perto, para longe ou para dentro, encontre um hobby. Ajude alguém e seja grato com quem te ajudar. Aproveite cada momento de cada jornada.

E você? O que aprendeu em 2019? 

Checklist do Mozão :: as 7 coisas que você deve procurar na sua cara metade

Passado algum tempo estando solteiro, minha cabeça de engenheiro começou a me questionar que tipo de pessoa eu gostaria de ter ao meu lado.

Depois de conversar com amigos, observar alguns casais e refletir bastante, cheguei às 7 coisas que passei a procurar na minha potencial cara metade.

O framework foi carinhosamente apelidado de Checklist do Mozão!

Vou compartilhar esses aprendizados com vocês agora! Quem sabe eles te ajudam em sua jornada =P

1) O companheirismo

Procure alguém que o papo não acabe nunca. Sabe aquela viagem longa? Podem ficar horas e horas e horas conversando, mas o assunto não termina. De conversas filosóficas a irrelevantes, trocar ideia é sempre bom!

Procure alguém que goste de coisas parecidas. Livros, séries, viagens, músicas… Procure alguém que tope suas coisas malucas. Que seja parceira de aventuras. Vamos cozinhar? Vamos. Vamos ficar em casa sem fazer nada? Vamos. Vamos pra Índia? Vamos. Vamos pra Marte? Vamos! Porque o que importa não é necessariamente o que vamos fazer, mas sim, fazermos juntos.

2) A admiração

Procure alguém que te ensine coisas novas. Que te inspire a ser melhor. Que te respeite pelo jeito que você é. Que te complemente. Que você curta suas características (virtudes e defeitos). E vice-versa. Alguém que você possa admirar a inteligência, o senso de humor, o carisma, a espontaneidade, a leveza, a generosidade, a ingenuidade.

3) Os valores

Procure alguém que compartilhe os mesmos valores. Que integridade e caráter sejam de raiz. Que acredite em trabalho duro, determinação e responsabilidade. Que não esteja na vida a passeio e que, por onde passa, deixa a sua marca. Alguém que não pensa só em si, mas em como ajudar os outros e como melhorar o mundo à sua volta. Alguém que sonha grande e que acorda cedo com energia para lutar por um propósito, sem deixar de aproveitar a jornada e de se divertir.

4) A visão de futuro

Procure alguém que tenha uma visão de futuro similar à sua. Imagina se uma pessoa quiser ter filhos e a outra, não? Imagina se uma pessoa quiser morar na Austrália e a outra, no interior do Mato Grosso do Sul? Imagina se uma pessoa quiser virar presidente do Brasil e a outra valoriza privacidade?

5) A atração física

Procure alguém com quem você tenha aquela coisa de pele, paixão ardente, que seja linda e graciosa, que role muita química e conexão.

6) O entorno

Procure alguém que traga uma família espetacular e amigos incríveis, porque afinal, aprendi com a vida, que “você não casa só com a pessoa”. E que eles passem a também ser sua família e seus amigos.

7) O imponderável

Procure alguém que, para além dos critérios objetivos da sua cabeça racional, aconteça o imponderável, o frio na barriga, as borboletas no estômago. Uma pessoa que você possa dizer: “gosto porque gosto”. Cujo sentimento não seja possível explicar, não seja possível definir, não seja possível qualificar… porque é amor.

Assine a newsletter e siga meu Twitter e Instagram!

Por que vendi minha empresa por 130 milhões? [PODCAST]

Empreendedorismo e educação são as duas forças capazes de mudar o mundo. O grande problema é que o nosso modelo educacional segrega as duas coisas, formando os alunos e futuros empreendedores por professores puramente pesquisadores sem prática no mundo dos negócios.

Conversei com o Hernane Ferreira Jr, do EMCONSTRUcast, sobre o que podemos fazer para transformar essas condições.

Além disso, contei um pouco sobre minha jornada, o que me levou a vender minha empresa por 130 milhões e as novidades que estou preparando para os próximos meses!

Ouve aí!

Quer mais dicas sobre soft skills e empreendedorismo? Assine a newsletter e siga meu Twitter e Instagram!

15 indicações de filmes, séries e vídeos para aprender um pouco sobre soft skills e empreendedorismo

De vez em quando, gosto de unir o útil ao agradável e aproveitar o tempo livre para aprender enquanto, ao mesmo tempo, me entretenho.

Nessa lista, separei alguns dos meus programas, séries e filmes favoritos, ou que despertaram o meu interesse, e que, de quebra, me ajudaram a aprender um pouco mais sobre soft skills e empreendedorismo.

Ela tende a crescer agora que o tema empreendedorismo está tão forte em diversos países.

Embora a maioria seja estrangeira, os vídeos do Day1 e Sonho Grande da Endeavor são especiais por retratarem histórias de pessoas que empreenderam e conquistaram sucesso aqui no Brasil.

Vou atualizando a lista conforme for encontrando mais conteúdos bacanas. Você pode conferir outras indicações na aba #VABOINDICA. Espero que curta!

VÍDEOS

SÉRIES/PROGRAMAS DE TV

  • Men Who Built America, do History Channel
  • Shark Tank, da ABC
  • Bloomberg Game Changers, da Bloomberg
  • Gigantes da Indústria, do History Channel

FILMES

  • A Rede Social (tem na Netflix!)
  • Jobs — o filme
  • Piratas do Vale do Silício
  • Print The Legend (tem na Netflix!)
  • Something Ventured (tem na Netflix!)
  • The Startup Kids
  • Everything is a Remix