People Skills e Liderança: as capacidades que nos diferenciam dos robôs

people-skills-lideranca-robos

Em agosto, tive a honra de fazer uma live junto com o Dan Lima, cujo perfil @danleadership no Instagram é voltado para discussões sobre finanças e People Skills.

Dan trabalha em Wall Street, é certificado pelo CFA e foi aluno no Program for Leadership Development da Harvard Business School. Foi um bate-papo longo e muito interessante sobre People Skills e liderança. 

Se quiser conferir a live na íntegra, é só dar play ao fim do artigo!

E só lembrando que, caso você tenha vontade de se aprofundar nesse tema, aqui no blog tem muitos conteúdos bem bacanas nas categorias Educação, Liderança e People Skills, assim como nas minhas redes sociais.

A educação e o futuro do trabalho

Sou um inconformado com a educação do Brasil.

O maior ativo que temos são as crianças e jovens do país, que estão sendo mal preparados não só para a jornada profissional, mas também para a vida. Para mudar essa realidade, faço parte de iniciativas como o Além da Facul e a Link School of Business. 

Antes disso, fui professor por 8 anos, dando aulas na PUC-Rio e no Insper, duas das mais renomadas faculdades do país.

Ao longo da minha carreira, percebi que as faculdades tradicionais formam pessoas para serem ótimos executivos em grandes empresas. Mas, para quem quer empreender, não havia opção nas faculdades tradicionais. 

Uma coisa é receber uma instrução e realizar a tarefa conforme alguém te passou; já educar, envolver, pensar, entender o contexto, fazer boa leitura e tomar decisões com as informações coletadas é outra completamente diferente.

É o que chamamos de aprender a aprender, porque dessa maneira, sempre que for necessário, você fará a análise crítica e resolverá os problemas que surgirem. 

O curso OPM em Harvard e o que aprendi com ele

Um momento que mudou minha vida foi o OPM que fiz em Harvard.

Foram três finais de semana por ano durante três anos, onde tive a oportunidade conviver com cerca de 160 alunos, advindos de 24 países. Foi lá que entendi o poder do networking, pois agora tenho excelentes profissionais com os quais posso ligar para discutir sobre os mais diversos assuntos e que estão disponíveis para me ajudar.

Lá, também aprendi como nosso modelo de ensino não prepara os alunos para a realidade. Os programas de Harvard são desenhando de forma que você não vai pra ouvir as respostas do professores, mas sim para fazer boas perguntas, criar discussões e, aí sim, encontrar as respostas juntos.

A inteligência que nunca vão conseguir substituir 

É necessário formarmos profissionais para lidar com a era da inteligência emocional, pois os robôs são perfeitamente capazes de fazer tarefas exclusivamente manuais. 

Mas entendo: o futuro sempre foi assustador. Somos uma geração de transição, como outras gerações anteriores também foram. É fácil prever quais são as profissões que vão deixar de existir, mas não conseguimos prever as novas profissões que serão criadas.

Ppor exemplo, só nos últimos 10 anos surgiram profissões como marketeiro digital, entregador do Rappi, Scrum Master, motorista de Uber e Youtuber. Nenhuma delas foi prevista. 

Por isso temos uma única certeza: se estamos diante de uma “ameaça”, a inteligência artificial, que faz atividades manuais quase sempre melhor do que somos capazes, o segredo é focar nas habilidades que máquinas jamais vão nos substituir – as People Skills.

Sim, as pessoas subestimam a emoção em prol razão, mas a realidade tem se transformado. O maior assassino de empregos, hoje, é a falta de inteligência emocional, que é muito mais subjetiva, particular e, por isso, insubstituível.

Se não quiser ser substituído por um robô, não aja como um, mas sim como humano. Por isso, prefiro a expressão People Skills, ao invés de soft skills

People Skills

Existem mais de 80 People Skills que podemos desenvolver, como oratória, criatividade, negociação, liderança, e muitas outras. Mas nosso sistema educacional está defasado, pois foca somente em habilidades técnicas, enquanto o mercado de trabalho tem cada vez mais demandado as habilidades pessoais.

Por isso, deveríamos dar a mesma importância para People Skills e Hard Skills. Precisa haver equilíbrio.

Eu acredito muito no conceito de mentalidade de crescimento, difundido pela Carol Dweck. Segundo essa mentalidade, se você acredita que para ser feliz e ter sucesso só depende de si mesmo, você vai buscar os recursos e tudo mais que for necessário para aprender.

Como desenvolver suas People Skills

Existem métodos para melhorar em cada uma das habilidades pessoais.

Gosto mundo da andragogia, que é o estudo do aprendizado de adultos. Um método que utilizo muito é o  10/ 20/ 70.

Você pode adaptá-lo assim: defina três principais People Skills que você quer desenvolver. Para melhorá-las, devemos utilizar 10% do tempo na busca por literatura, cursos, lives, vídeos relacionado ao tema.

Os outros 20% do tempo devem ser utilizados com mentores (observando quem é bom nela, questionando, conversando a respeito de formas de desenvolvê-la).

E, por fim, 70% devem ser de prática. Somente nos tornaremos melhor em qualquer habilidade depois de muita prática. 

Liderança

O desenvolvimento de lideranças é o maior gargalo das empresas hoje. Elas não conseguem atrair, engajar e desenvolver pessoas certas para aquela posição.

Por exemplo: muitas empresas promovem automaticamente o melhor vendedor como líder da equipe de vendas. Mas, fazendo isso, você perde o melhor vendedor e ganha um gerente de vendas fraco.

A transição de carreira onde você é responsável pelo seu resultado e depois passa a ser responsável pelos resultados do time é totalmente diferente. 

As habilidades dos bons líderes

Para mim, a principal habilidade do líder é a escutatória. Temos que aprender a ouvir o outro.

Para liderar é preciso estabelecer um canal de diálogo com seu time, mostrar-se presente para ouvir e entender o que a pessoa quer, direcionando-a a partir disso.

Nesse processo, outra habilidade importante é vulnerabilidade. Ninguém sabe de tudo. A construção da confiança é o que leva a pessoa a se motivar. Se a pessoa é proativa (aquele sangue no olho), ela vai correr atrás do que é necessário para atingir os objetivos.  

Um exemplo é a arte de vender: para ser um bom vendedor é necessário ter resiliência, coragem, disciplina e se capacitar. Só com a habilidade técnica, ela não vai se sair bem no longo prazo. 

Por isso, é preciso buscar conhecimento o tempo inteiro. É o que Simon Sinek denomina de jogo infinito, pois nunca acaba.

Outros conceitos importantes para a liderança

Outro conceito que tem se difundido é o slash de carreira, que significa que a pessoas vai ter de 6 a 8 carreiras durante a vida, ao contrário de muitos casos de antigamente, nos quais a pessoa passava a vida inteira na mesma função.

Por isso, hoje considero importante que a pessoas seja um multiespecialista, ou seja, tenha conhecimento profundo em 2 ou 3 coisas, e com a interseção delas, muitas oportunidades se abrirão. 

Mais dois conceitos importantes que têm sido muito discutidos atualmente são a resiliência e a antifragilidade.

Resiliência é a capacidade de ouvir não e continuar tentando, ou seja, não desistir. Já a antifragilidade é quando você passa por situações de stress, pressão e não só sobrevive, mas aproveita os desafios e os transforma em oportunidades, saindo mais forte do processo.

Isso está intimamente ligado à disciplina, a qual te dá o foco para alcançar a meta. A derrota só acontece se você não tirou um aprendizado dela. 

Quem serão os profissionais do futuro?

Por isso, meu propósito é ajudar as pessoas para que que elas se transformem nas suas melhores versões.

Como diz o escritor Alvim Toffler: “os analfabetos do futuro não serão mais aqueles que não sabem ler nem escrever, são aqueles que não conseguem aprender o que for necessário, desaprender o que não é mais importante, para reaprender novos conceitos”.

A adaptabilidade é o que vai fazer os seres humanos vencerem os o robôs e os novos desafios que vierem. 

Esse artigo te ajudou?

No meu Instagram @vabo23 estou sempre compartilhando os passos mais importantes da minha jornada e trocando ideias sobre educação, people skills, liderança, empreendedorismo e a vida, em geral.

Segue lá e me manda seus desafios por DM que tentarei te ajudar!

Quer conferir a live completa? Dá play abaixo!

https://www.instagram.com/tv/CEksuygKSQ4/?igshid=tdoiods6w7jp

1 comentário em “People Skills e Liderança: as capacidades que nos diferenciam dos robôs”

  1. Pingback: Como ser um empreendedor no Brasil: a questão da educação

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.