5 erros que cometi no Empreendedorismo – e o que aprendi com eles

lápis, prancheta e bolas de papel amassadas ilustrando erros no empreendedorismo

Neste artigo, eu gostaria de falar um pouco sobre erros no Empreendedorismo, e como esses mecanismos inerentes a nossa formação, quando vistos pela perspectiva correta, podem nos impulsionar em nossas jornadas individuais.

É muito curioso como na nossa sociedade é condenável errar. Desde a escola somos condicionados a abominar qualquer nota fora da média ou colocação considerada inapropriada durante as aulas que participamos, já percebeu?

Mas quando pensamos em inovar e empreender em um mundo complexo e incerto como o que vivemos, é preciso experimentar e se submeter a testes. Nesse processo, é certo que erros vão acontecer.

O sistema educacional implementado no Brasil ainda é, em minha opinião, falho também por causa disso: ele não recebe bem essas “humanidades”, e isso é visível, por exemplo, quando observamos o atual modelo de vestibular, em que características que fazem um profissional ter sucesso no mercado de trabalho, como disciplina, criatividade e resiliência não são, em sua grande parte, medidas.

Ou seja, somos forçados a ignorar nossas People Skills, quando deveria haver um equilíbrio no desenvolvimento de nossas habilidades técnicas e sócio-comportamentais.

O papel do erro na inovação

“Se você não está errando, é porque está indo devagar demais”

Vabo

 

O erro é uma oportunidade que temos de aprender.

A grande questão a que devemos estar atentos é tão somente a frequência com que cometemos o mesmo erro.

Cometer erros novos e aprender durante esse processo é algo que diferencia indivíduos e potencializa oportunidades de crescimento.

Como empreendedor, líder e gestor de pessoas, eu errei diversas vezes. Abaixo, listei alguns dos que mais me ensinaram, quando eu estava começando a empreender:

Erro #1: não ser apaixonado pelo problema

Eu comecei a empreender quando meu sócio criou uma empresa de tecnologia do zero e, depois de cinco meses, me convidou para integrar o time.

Na época, a startup precisava de alguém que desenvolvesse o aparato comercial do negócio.

Naquele panorama, nosso erro foi começar por uma solução e não por um problema em si.

O meu parceiro criou um software que percorria a internet monitorando lojas virtuais ao mesmo tempo em que colhia informações para varejistas e fabricantes e nós erramos quando direcionamos a tecnologia para encontrar algum problema. 

No final das contas, o nosso direcionamento foi o de encontrar um problema que pudéssemos resolver, todavia, partimos de uma possível solução, e quando zarpamos do problema, as chances do processo ser bem-sucedido são maiores.

São sinônimos de problemas: necessidade, dor, dilemas, desafios.

Ou seja, é tudo que alguém possa ter/sentir/precisar e que possa ser resolvido por você.

Como corrigi esse erro: tendo um sócio que me completava

Um erro muito comum entre empreendedores é na formação de sociedades: é fundamental encontrar um sócio que tenha as habilidades que você ainda não tem, mas que divida a mesma base moral que você, isto é, vocês precisam ter os mesmos valores.

O Salvini, meu sócio durante a época da Sieve, chegou a quebrar em um de seus negócios por causa dessa questão. Portanto, esteja atento a isso, e saiba que as regras do jogo precisam estar muito bem definidas.

Erro #2: não saber a hora de captar investimentos

Indo para outro paralelo – e falando agora principalmente de empresários que estão no início do negócio – é fundamental estar alerta ao erro de esperar demais (ou de menos) para captar investimentos, quaisquer que eles forem.

Afinal, investimento não é sinônimo de grana.

Sendo assim, alimente sua rede de contatos (networking) com uma variedade de pessoas que possam contriibuir para o seu crescimento de diferentes formas, e utilize-a bem, ainda no início do seu empreendimento.

Naturalmente, entendemos, em dado momento, que precisávamos do dinheiro, mas que aquilo não era o mais importante para a nossa empresa. O essencial era composto por três elementos: mentoria, networking e sinergia.

Nesse cenário, então, defina muito bem os seus investidores, pois essa relação precisa ser pautada em parceria, confiança e muito diálogo. Investidores incompatíveis podem acarretar muitas dores de cabeça para você e para a sua equipe.

Como corrigi esse erro: tendo foco

Tendo isso em mente, cuidado com um elemento chave em qualquer carreira empreendedora de sucesso: o foco.

No momento em que eu e meu time demos um start legal nas vendas e sentimos que estávamos “dando certo”, começamos a querer abraçar o mundo com as mãos.

Foi um gatilho para a vontade de produzir, mais do que já tínhamos, e pensar no que poderíamos produzir com excelência naquele momento.

Porém, quando pensamos em avançar e expandir os horizontes precisamos, em primeira instância, focar e ser excelentes no que já nos propomos a fazer.

Rapidamente, então, depois desse processo ter sido concluído, deve-se acelerar e estender a base para evitar ser vencido pela concorrência.

Erro #3: não atentar para os erros “de dentro”

Esteja atento, de igual modo, aos erros que podem acontecer na cultura organizacional do seu negócio.

Esses são mais comuns em quatro esferas: contratação, avaliação do desempenho, promoção e demissão de pessoas do time.

É importante trabalhar para que a cultura da sua empresa seja de alta performance, dessa forma, procure dar o seu melhor, inclusive na delegação de tarefas e gestão de pessoas: seja o maior modelo para a sua equipe, e lidere pelo exemplo.

Como corrigi esse erro: priorizando os valores da empresa

As pessoas que trabalham na sua empresa precisam estar alinhadas aos valores do seu negócio, nesse quadro, é fundamental que elas sintam vontade de desenvolver aquele empreendimento ao lado do time, e de performar bem entregando bons resultados.

Erro #4: não estar pronto para escalar

A partir de determinado ponto de desenvolvimento do seu negócio, esteja pronto para escaladas de crescimento inesperadas!

A Sieve só tinha clientes pequenos e médios até certo ponto, mas quando conquistamos nosso primeiro grande negócio, pouco tempo depois conseguimos vários outros compradores imponentes, e isso quase quebrou nossa então startup, uma vez que, na época, não tínhamos os processos necessários para gerenciar a quantidade e complexidade de trabalho necessário.

Como corrigi esse erro: investindo em pessoas 

Contratamos pessoas qualificadas, mapeamos os procedimentos e automatizamos itens que julgamos precisos, e assim conseguimos sair daquela crise.

Nosso segundo erro, entretanto, naquele momento, foi o de manter o dedo no “botão da crise” por tempo demais. Isso pode prejudicar o time, e te fazer perder talentos importantes, então, saiba quando desacelerar. 

Erro #5: ter “medo” da concorrência

Partindo para outro aspecto suscetível ao erro: cuidado ao lidar com a concorrência.

Em primeiro lugar saiba que se o seu negócio estiver dando certo, é bem provável que alguém te copie, é natural.

À vista disso, então, não dê tanta atenção a esses fatores: você só vai gastar a energia que deveria investir no seu negócio, no seu time e nos seus clientes.

Como corrigi esse erro: cuidando do ego

Seja cauteloso com o ego: esse bichinho verde que parece ser inofensivo pode atrapalhar muito seu processo de desenvolvimento pessoal, e te impedir de chegar a lugares maravilhosos sem que você perceba.

Crescer, contratar pessoas e ter seu trabalho reconhecido em capas de revistas são ótimos indicadores, mas lembre-se de gerenciar seu ego, e não deixar que ele tire a sua humildade. Sempre vai existir algo fantástico para aprender, isso é fato.

Vamos errar?

“Uma pessoa que nunca cometeu erros nunca tentou algo novo”

Albert Einstein

 

Todos nós tememos errar, mas erros certamente vão acontecer independentemente da nossa vontade.

A questão é: o que podemos fazer com isso? Que tal abraçá-los e aprender com eles a partir de agora?

Vamos errar! E vamos aprender no processo 🙂

 

Gostou deste artigo? Compartilha com alguém que você acha que vai curtir também!

No meu Instagram @vabo23 estou sempre compartilhando os passos mais importantes da minha jornada e trocando ideias sobre people skills, liderança, empreendedorismo e a vida, em geral.

Segue lá e me manda seus desafios por DM, não esquece de me contar aqui nos comentários e lá no instagram o que achou do artigo. Até a próxima!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.